Rio de Janeiro, 27 de março de 1999

Ao Gabinete do Exmo. Dr. Procurador-Geral de Justiça

REF.: Prot. MP 3058 (08 de março 1999)

 

 

 

Consciente da responsabilidade de minhas afirmações formais em procedimentos que aí dei início, ocorreu-me a melhor forma de demonstrar-lhes, na prática, tudo que afirmo. Através de uma PROVA EM ESPÉCIE, digamos, um "programa", mas que, na verdade, é a manipulação correta de códigos secretos que habitam o Software Windows da Microsoft Corporation.

Nada externo é adicionado. É a manipulação correta que desconhecemos. A qual, por meu talento, pude apossar-me de alguns poucos códigos, os quais já resultam em proteção gratuita e eficiente às máquinas usuárias deste Soft.

Apresento-o com o nome TALDOWIN - O TAO DO WINDOWS de Marco Nunez.

Estando dois (02) disquetes de 3.5", 1,44 MB, idênticos em conteúdo, juntados à esta petição. Possuindo, apenas, duas providências secretas e facílimas, diretamente por mim passada aos usuários, para que se torne totalmente invulnerável e recuperável diante de qualquer destruição de dados. Porém, como está apresentado, já é fantástico, eficiente e inviolável. Instale-o e constate!

__________________________

Alongo-me fornecendo, de vez, práticamente tudo que julgo ser subsídio, a medidas legais, que os excelentíssimos necessitam para responsabilizar os verdadeiros autores de tanta farsa e insegurança em nossos dados magnéticos de computadores (pode minha saúde não resistir ao desgaste desta jornada, em diante), realçando, em meu entender, a pessoa do Diretor-Geral da Microsoft Brasil, Sr. MAURO MURATÓRIO NOT.

__________________________

MAURO MURATÓRIO NOT - omissão e ameaças

Este senhor, recebeu pelos Correios, com AR formal, meu Relatório-Secreto sobre o Soft Windows e o Big-Crash em Computadores. Sendo que nunca manifestou-se frontalmente ou formalmente, sequer em benefício dos consumidores e usuários.

Porém, a Microsoft-Brasil, a qual ele dirije, sediada em São Paulo, empenhou-se em realizar chamada telefônica interurbana ao telefone da residência de meu auxiliar aqui no Rio de Janeiro, Tel.: 551-XXXX - Fernando.

Incumbiu o funcionário que ligou-nos de ameaçar-nos de algo que já desconfiávamos ser possível mas não tínhamos certeza: -A Microsoft nos vigiaria na Internet.

Esta, entre outras sandices à título de pressão psicológica, em rebate a descoberta que realizamos de um poderoso destruidor de dados que habita o Software Windows 95 e 98.

Daí a vir falsificar e-mails a fim de desmoralizar-me é facílimo para quem pode controlar terceiros na Internet, violando o sigilo das comunicações.

É sabido que a "poderosa" Microsoft-Brasil não fica telefonando para ninguém à toa. Atende a maioria, ou todos, por e-mail. Assim, consulta as Contas Telefônicas desta emprêsa junto à Telesp, aparecerá no mês de agosto de 1998, a ligação para o telefone já citado.

Além, que acredito, não ter cumprido seu dever funcional de comunicar as descobertas à matriz de sua emprêsa. E, se as fez, foi de forma a ocultar a real autoria das descobertas.

MAURO MURATÓRIO NOT - e seu conceito de Poder Judiciário

Em entrevista à Revista Windows emite alguns conceitos sobre Justiça, os quais, acredito, sejam de interesse dos excelentíssimos.

"-Que as relações da Microsoft com o DOJ azedou..."

Acreditando, o signatário, que azeda-se relações com a vizinha fofoqueira de nossa rua. Porém o DOJ é o similar do Ministério Público, ou assemelhado ou mais poderoso, em norte-américa, acreditando ser um local, que como Instituição estaríamos sempre na condição de prestarmos todas as informações que solicitar, já que é a Justiça de um Estado, a qual desconhece e não utiliza tais termos chulos, utiliza tão somente as Leis do País.

Entendi tal declaração como um "descaso" com a Justiça, no todo.

Mais além, na mesma entrevista, alega, à título de algo similar a deboche,

"-Que todo o Judiciário norte-americano utiliza o Soft Windows".

E daí, excelentíssimos?

Como o MP de nosso Estado utiliza e "pagou" por isso o valor cobrado, não é gratuito. Além de que no Software, os aplicativos são ótimos, o que nos põe em risco é a sustentação do Sistema Operacional por eles desenvolvido. E as consequentes "enganações" produzidas a fim de ocultar o que eles mesmos criaram.

Das atitudes, diante do Relatório-Secreto, e-mails que enviei e finalizando com esta entrevista... acredito piamente que o Sr. Mauro Muratóri, que o próprio, faz-se conhecer como MAURO MU, acha-se "acima" ou "inalcançável" pelas Leis de um país não-desenvolvido, como o Brasil.

O Promotor de Justiça GARY REBACK e a Microsoft Corporation

greback@wsgr.com

Norte-americano, encontrável através deste e-mail, ou em sua página na Internet, a qual consta nos Mecanismos de Busca, bastando digitar "reback DOJ", para encontrar-se a página deste Promotor de Justiça. O qual só utiliza o idioma inglês para se comunicar.

A página que utilizo é: http://ne2.news.com/Newsmakers/Reback/reback.html

Na mídia é dado "como o único homem que tira o sono de Bill Gates". Por ser honesto, incorruptível, competente e disposto a provar a "cartelização", ou algo similar, desta companhia.

Oro a Deus que o senhor Muratóri encontre um, não!, mas vários Rebacks, em nossa pátria, e finalmente passe a respeitar mais a Justiça e os Direitos dos usuários brasileiros.

A MICROSOFT-BRASIL - certificações, Direitos Autorais e imprensa

A Microsoft-Brasil anuncia nas páginas da Internet que estaria "tomando" 76 milhões de reais de uma única empresa brasileira, por uso indevido de software pirata.

A mídia noticia que a Microsoft-Brasil possue, apenas, cerca de 160 funcionários, em nossa pátria.

A Microsoft implantou um sistema de CERTIFICAÇÕES (Certified by Microsoft), o qual transforma, em muitos casos, pessoas e emprêsas talentosas, em verdadeiros "enganadores de carteirinha", posto que nada lhes comunica ou apresenta como solução, a "levarem adiante", acerca das armadilhas mortais aos dados, plantadas em sua linha de softwares Windows 3.xx. 95.xx.xx e 98. Quando, sequer nas páginas que oferece estes caríssimos cursos, prima pela correta ortografia vigente em nosso país.

Assim, emprêsas passam a "projetar" dentro do que aprendem na Microsoft-Brasil, ou através dela. É o caso, acredito, da bem intencionada emprêsa XXXXXXX, autora do Software XXXXXXX XX e XXXXXXX XX. Que acabam "protegendo" parte, quando poderiam proteger "o todo".

Outras se "aliam", em coisas que recebem nomes como "Alianças Estratégicas"... denominações que nos lembram os tempos da "guerra-fria", ou filmes de invasores imperialistas. É o caso da emprêsa MÓDULO, a qual "imita" todo o marketing enganador e enfeitado, que tornou-se característica da Microsoft e seus seguidores, os do mau. Pois, o signatário, também é um seguidor da Microsoft, porém pelo Bem, buscando colocá-la no bom caminho, já que em essência seu (deles) software é talentoso e eficiente.

Daí, jornalistas e assemelhados, louvados nos Certified by... enxergam meu trabalho como um "delírio", o qual nem querem tomar conhecimento. Pois as "luzes" de Microsoft, Módulo, etc... ofuscam completamente, aos que mal enxergam, as verdadeiras luzes que devem vir a brilhar no próximo milênio: -as da Verdade.

E estes jornalistas, inocentes úteis, saem a informar em artigos técnicos verdadeiros absurdos como verdades absolutas. Suicídio de "dados", como Segurança com Certificação Internacional, e assim por diante...

Por fim, estampa ao ITEM 11 DAS FAQs (Perguntas mais frequentes), em sua página na Internet, a Microsoft-Brasil, uma verdadeira manobra de "induzir as pessoas à erro para obterem vantagens aos fabricantes de BIOS". Parece, ao leigo, o conceito de estelionato.

________________________________________________________________

Excelentíssimos, possuo um Livro Inédito, apresento-lhes um "Programa", indícios de crime, e comentários técnicos... Tudo científico, objetivo.

Sinceramente, não sei que mais o que fazer ou criar, ou descobrir para que a sociedade entenda que meu trabalho visa evitar a seguinte situação que se avizinha, pelo "andar da carruagem":

-Um jovem "hacker", um hackerzinho, ligar apavorado para o Pentágono, se desculpando, chorando, desesperado... pois só para provar que "era o bom", deu disparo a um míssil que se destina a destruir nossas cidades.

Ou coisa do gênero...

Graças a Microsoft, Módulo e outras emprêsas que dizem que fazem, o que não fazem: -prover nossos dados magnéticos de Segurança real, sincera e honesta.

Daí, culpa-se os hackers. E, os verdadeiros autores, escapam das malhas da Lei.

É o que apresento aos excelentíssimos, finalizando meu trabalho sobre o Software Windows.

E, a nível de Justiça de meu Estado, dou por encerrada minhas "colaborações" pelo Bem-Comum, dos usuários de computadores.

Respeitosamente,

Marco Antonio Nunez Pereira

RG IFP 04223898-0