O guerrilheiro retorna ao selvagem convívio das cidades-grandes.

Fantasma - Editora SABER LTDA.
"Às vezes se disfarça e percorre as ruas das cidades como um homem qualquer...
para combater a injustiça, a crueldade e a pirataria"
(Fantasma - magazine, Lee Falk)


Para que entendam e não estranhem a publicação-Web deste trabalho!


Entendam: Está sendo aplicada em mim A Técnica do Abandono. Silêncio e Falta de Apoio Total para que eu me descontrole e cometa atos que dêem motivo a aparentar ser o errado, exagerado e tal.

Gostaria de avisar que certas coisas em meu trabalho que pareçam estranhas, ora bolas, são devaneios de um estilo (engatinhante) de escrever, treinos... Porém TODOS os Dados Técnicos são precisos e incontestáveis!!! Tipo em As Faces da Besta, começa de cara com "o macaco entre o homem e o super-homem" (uma das coisas mais profundas que li, assim achei!, no Assim falava Zaratustra, de Nietzsche); e alguns julgam-me louco, porém é que foram à escola pouco... Pasupata? Nunca leram um poema hindu... E, ao menos, sempre procurei boas leituras. E tirar delas o que há de melhor. Mas parece que ninguém sabe mais nada. Acham que criei a Pasupata. Pode? E a intervenção de Krishna? Quantas vezes a leio... me emociono. E aí? Não posso ser um pouco épico... coisas da alma. Exemplos de deuses ou semi-deuses distantes, lutando por coisas iguais as que luto: liberdade, justiça, sinceridade, preservação do mundo de nossas crianças. -Vão te matar!.. Ora, quer coisa melhor do que morrer pelo mesmo ideal de deuses?

-Tira a seriedade do trabalho, essas referências a avatares! Dizem outros... que só por afirmar isso, vê-se que nem sabem o que falam. Esquecem, ou nunca souberam!.. que nos automóveis e "relógios" de Newton, o todo e o que alimenta a coisa inclusive, são totalmente visíveis... mas dados de computador e rádio-frequência nenhuma vista alcança. E neste território ainda há quem mande: os deuses e os avatares deles.
E não existem fronteiras: de sua altíssima & longínqua montanha... Dalai Lama reconheceu o chorinho de "um pequeniño". Lá longe... vindo d'Espanha.


Meus amigos, seriedade é a da página da Multinacional Microsoft-Brasil. Antes de minha comunicação ao Ministério Público parecia feita por analfabetos, e agora contrataram "professores"... e melhorou, mas cheia de erros ainda. Vão lá, cobrar mais seriedade deles. Até hoje só vi pessoas procurá-los para se venderem, a preço de mercado-negro. Não sou inimigo deles, e até os ajudaria. O problema é que não respeitam brasileiros, a começar pela língua. E o que fazem, ao fazerem em um programa... pronto: tá feito um Bug!

E agora lá estão com estória de Educação. Programas Educacionais de norte-américa adaptados ao Brasil. Se quem os adapta é igual a quem redige os textos: pobres das crianças. Em suas mentes penetrarão defeitos. E pior, defeitos importados escovados por macacos.

E um dos macacos sou eu mesmo: como cometo erros em minhas páginas, porém não sou Corporation, e implorei junto a Autoridades por ajuda e condução superior aos trabalhos que ora apresentava, inclusive sobre o Reitor da UERJ-RJ que dava informações incorretas sobre Cola-Eletrônica. Ocasião em que ofereci projeto ao Estado do Rio de Janeiro de aparelhagem eficaz contra tal evento.
E macacos não falam! Deve ser por isso que nunca fui ouvido a termo ou sequer convidado a demonstrar tudo que afirmo tecnicamente.

À Microsoft ou a outros que agirem da mesma forma...

O Fantasma, magazine. Editora -Rio Gráfica e Editora Ltda.-

Tem que haver "resistência"!